Mais um workshop de Fotografia de Comida em São Paulo!

Foto de Raphael Günther

Depois do sucesso dos nossos workshops de fotografia de comida e de tantos emails de todo Brasil perguntando quando acontecerá o próximo, estamos estudando a possibilidade de fazer mais um workshop neste ano no dia 17 de novembro de 2012 em São Paulo SP, uma vez que tínhamos programado que os próximos seriam somente a partir de março de 2013.

Para o workshop acontecer, precisamos de um número mínimo de interessados até o dia 15 de outubro. Caso você tenha interesse envie um e-mail com seus contatos para workshop@fotografiadecomida.com.br e no dia 17 de outubro informaremos sobre as inscrições.

Fotografar alimentos: Quanto cobrar?

Trabalho realizado para Mini Kalzone

Uma coisa que percebo pelos e-mails que recebo, é que muita gente que está começando trabalhar com fotografia de alimentos não sabe quanto cobrar por um trabalho, pois todos querem que o investimento feito com os equipamentos se pague, os custos de trabalho sejam abatidos e que haja lucro para viver.

Existem várias formas de calcular o preço do seu trabalho, uma delas é por hora de trabalho. Mas como saber quanto é sua hora de trabalho?

Read more

Equipamentos para o food stylist

Equipamentos para food styling

A minha caixa de equipamentos para trabalhos de food styling

Assim como a tesoura é para o cabelereiro e a câmera é para o fotógrafo, o food stylist também tem suas ferramentas essenciais para trabalhar. Caso você pretenda trabalhar na profissão de food styling, seguem abaixo alguns equipamentos que são essenciais na minha opinião:

- Seringa: bom para aplicar molhos;
- Pincéis: ótimos para limpar pratos e aplicar líquidos;
- Maçarico: necessário para dourar e caramelizar superfícies;
- Bisturi: essencial para cortar e recortar pequenos detalhes no set;
- Palitos de madeira: é o que mais uso, serve para fixar e modelar elementos;
- Escumadeira: para frituras e cozimentos;
- Batedor pequeno: útil para misturar molhos;
- Pinças: para segurar e manipular alimentos.

Você encontra estes equipamentos em lojas de ferramentas, utensílios para cozinha e farmácias.

Sucesso no trabalho!

Erros mais comuns na fotografia de comida

Erros fazem parte do nosso trabalho, e com eles também aprendemos. Seguem alguns problemas que podem acontecer num trabalho de fotografia de comida:

  • Briefing mal feito, tanto dos desejos do cliente, quanto entre o fotógrafo e food styling
  • A comida ficar com um aspecto muito fake
  • Cozinhar demais ou de menos o produto a ser fotografado
  • A aparência do produto ficar muito seca ou úmida demais
  • Falta de material para ambientação (taças, toalhas, louças, etc.)
  • Se atrapalhar no set com a quantidade de elementos.

Um briefing bem feito é essêncial para um trabalho sem erros. Além das dicas que já mostramos (clique aqui). O acompanhamento da produção fotográfica por parte do responsável/cliente, seja pessoalmente ou online, também é uma boa opção para resolver eventuais questões que surgem durante a produção e ter um feedback sobre o trabalho antes de finalizar e desmontar o set, evitando assim refazer o trabalho por causa de algum detalhe e/ou perder muito tempo no tratamento de imagem.

10 motivos para contratar um food stylist

fotografia: Raphael Günther

Para clientes que contratam fotógrafos profissionais na área de fotografia de comida muitas vezes é necessária a contratação do food styllist, sobre esta questão, segue abaixo alguns motivos:

  1. Eles têm uma formação técnica, sabem trabalhar e manipular alimentos para serem fotografados.
  2. Os food stylists têm os contatos certos para saberem onde conseguir os ingredientes que precisam para a produção e ambientação.
  3. Eles conhecem e se preocupam com as tendências do mercado, como aparência mais leve, mais saudável, etc.
  4. Uma imagem de comida só tem uma chance para convencer, o da primeira impressão. Os food stylists trabalham com o objetivo de chegar mais próximo da perfeição e trabalham nos mínimos detalhes para que a primeira impressão convença.
  5. Para que a produção seja otimizada, os food stylists calculam e organizam as compras da produção para evitar gastos desnecessários.
  6. Os food stylists possuem métodos para comporem uma imagem e prepararem o set de cada produção conforme da sua necessidade.
  7. Os profissionais têm equipamentos e ferramentas adequadas para manipular alimentos, tais como fogões, facas, soprador de ar, etc.
  8. Sabem se expressar visualmente e são detalhistas com a matéria prima.
  9. Possuem conhecimento para reconhecer e valorizar as texturas, que é o grande diferencial do profissional que produzir imagens para estimulam o apetite.
  10. Os estilistas de alimentos, como também são chamados os food stylists, preparam os pratos, exclusivamente para serem fotografados. Fazem que os alimentos pareçam apetitosos e deliciosos.

10 motivos para contratar um fotógrafo especializado em gastronomia

fotografia: Michel Téo Sin / food stylist: Heiko Grabolle / cliente: Tyson do Brasil
  1. Na fotografia de gastronomia, a linha que divide o “apetecível” e o “não apetecível” é bem tênua.
  2. Uma fotografia mal feita não prejudica apenas a imagem do seu produto, como também a imagem da sua empresa e a marca/nome dela.
  3. Uma imagem não transmite cheiro nem sabor, mas precisa atiçar o olfato e paladar apenas com a visão, e o fotógrafo é especialista em transmitir sensações/sentimentos por meio de imagens.
  4. Fotografia significa desenhar com a luz, sendo assim, os fotógrafos sabem explorar a luz para valorizar as cores, formas e texturas dos alimentos.
  5. Bons fotógrafos (e food stylists) estudaram assuntos relacionados a estética, forma, cores, signos, etc a teoria das cores e por causa disto sabem quais elementos visuais usar nas fotografias.
  6. Profissionais estudam e planejam cada trabalho, desta forma otimizando o tempo, custo e evitando desgastes das partes envolvidas durante e após a produção.
  7. Em termos de equipamentos, os profissionais possuem as ferramentas específicas para cada tipo de trabalho, como lentes, câmeras, luzes, etc.
  8. As fotografias precisam ser belas por si só, mas também devem ser planejadas para integrar-se nas diferentes peças gráficas em que elas serão aplicadas.
  9. Em questões tributárias, profissionais possuem CNPJ e desta forma, emitem nota fiscal dos seus trabalhos e pagam impostos.
  10. Caso o cliente saiba que necessita de fotografias, mas não sabe exatamente quais, profissionais analisam as suas necessidades e problemas e sugerem as soluções para as mesmas.

O desafio do foodstylist: trabalhando sem referência


fotografia: Michel Téo Sin / food stylist: Heiko Grabolle / cliente: QG Jeitinho Caseiro

Imagine alguém lhe pedindo para fazer um trabalho. É sempre bom se for algo do seu ramo e você tenha competência/capacidade de executá-lo, e que mesmo que você não se sinta totalmente apto, tem sempre alguém que pode lhe ajudar.

Em nosso caso, no processo de planejamento do trabalho, pesquisamos o máximo de referências (ruins e boas) de alimentos/produtos similares para saber o que deve e não ser feito.

Mas quando há poucas referências ou simplesmente não há? Ou só apenas referências ruins? É nessa hora que precisamos explorar a criatividade, imaginação, experiência, testes, muitos testes e a confiança do seu parceiro (fotógrafo ou food stylist), pois ambos estão na mesma situação, que é de criar algo novo, que poderá ser referência para outras pessoas.


fotografia: Michel Téo Sin / food stylist: Heiko Grabolle / cliente: QG Jeitinho Caseiro

Com ou sem ambientação?


fotografia: Michel Téo Sin / foodstyling: Heiko Grabolle / cliente: QG Jeitinho Caseiro

Algumas pessoas nos questionam na diferença em fotografar um prato em um fundo ambientado ou em um fundo liso, e isto nos motivou a escrever o que achamos sobre:

Imagem com ambientação: Além do apetite, o objetivo é do observador relembrar momentos, lugares, pessoas e desta forma associar a marca/produto com um conceito. A ambientação deve valorizar o alimento e não tirar a atenção dele, para isto usamos o recurso fotográfico de desfoque. Para ambientar a cena geralmente utilizamos louças, objetos de decoração e tecidos.

Imagem sem ambientação: Podemos dizer que é um trabalho mais técnico. O objetivo é do observador/consumidor saber em que consiste o prato/alimento. Toda a imagem fica em nitidez e por causa disto, o trabalho de foodstyling é muito mais exigido, como também é indicado para a aplicação em materiais gráficos, pois o fundo da imagem pode ser modificada.

Receitas para Mueller Fogões

Lombo de porco defumado com chucrute bavaria e purê de batata:

Salmão curado em sal e ervas com queijo quark e panquecas de batatas:

fotografias: Michel Téo Sin / food styling: Heiko Grabolle / cliente: Mueller Fogões

O chef alemão Heiko Grabolle elaborou receitas para a empresa Mueller Fogões, patrocinador do 6º Festival Gastronômico (Winterfest) em Pomerode SC. Além de produzirmos as fotografias dos pratos, o Heiko também os apresentou ao público no stand da empresa no festival.