Entender o que se está fotografando

_MG_0290_blog

fotografia: Michel Téo Sin | cliente: Bianco Lounge

Parece óbvio, mas para fotografar comidas, o fotógrafo deve entender a área da gastronomia.

Quando realizo uma refeição, sempre presto atenção no meu entorno enquanto estou na mesa esperando ou comendo. Presto atenção nos diversos elementos da experiência de fazer aquela refeição, como a decoração, o cheiro, o som, a temperatura, as pessoas, além de apreciar a aparência, cheiro, textura e sabor da comida.

A intenção é de desenvolver cada vez mais a minha bagagem em relação às minhas experiências gastronômicas para aplicá-las nos meus trabalhos fotográficos.

Isto é importante para você criar situações/soluções quando você tem uma diretriz para seguir, ou o cliente está em dúvida no que quer, e também quando você não tem diretriz nenhuma e precisa conceituar e criar o trabalho todo.

Equipamento fotográfico


Fotografia feita com celular SonyEricsson W810i. © Michel Téo Sin

Alguém já escutou a seguinte frase: “Ah, também com essa câmera, até eu faço foto boa”

Essa cultura de que uma boa foto é diretamente relacionada com o equipamento usado existe desde que a fotografia surgiu e é muito mais forte atualmente com a popularização da fotografia digital e da tecnologia.

Uma câmera fotográfica, lentes e luzes são instrumentos para o fotógrafo como um forno, uma panela e faca são para um cozinheiro/chef. O que adianta a melhor (melhor é sempre relativo) panela, faca e o melhor forno se uma pessoa quer fazer uma receita mas não tem domínio nem conhecimento para fazê-lo. A mesma analogia aplica-se na fotografia, porém muitas pessoas acreditam que para fotografar bem, é só adquirir um equipamento avançado/caro/novo.

O mais importante é o conhecimento da técnica fotográfica, que permite ao fotógrafo conhecer as suas necessidades, as restrições e possibilidades dos equipamentos disponíveis e assim adaptar-se às suas ferramentas e tentar extrair o máximo delas, como também o inverso, do fotógrafo saber quais equipamentos adaptam-se melhor à sua linguagem/estilo/modo de fotografar.

Fotografar comida

_MG_7375-Edit-2_blog-2
fotografia: Michel Téo Sin / food styling: Heiko Grabolle

Antes de iniciar um trabalho de fotografia de gastronomia, o fotógrafo deve conversar com o cliente e o food stylist e ter em mente pelo menos as seguintes informações para nortear o trabalho:

- A idéia/situação que a fotografia deve transmitir. Ex. refrescância, calor, salgado, doce, almoço, jantar, etc
- O produto/elemento principal e a finalidade da imagem. Ex. embalagem, editorial, publicidade, etc
- A característica mais marcante da comida. Ex. crocância, suculência, mistura de texturas, delicadeza, etc
- A(s) parte(s) do prato que merece mais destaque. Ex. recheio, cobertura, textura, etc

Estas informações ajudam o fotógrafo a definir a linguagem fotográfica da imagem, isto quer dizer, por exemplo, decidir se a luz é difusa ou direta, se toda a imagem estará em definição ou o foco será apenas em um lugar, se a composição é horizontal ou vertical, se a ambientação é simples ou cheia de ornamentos, entre outras coisas.

O trio fotógrafo-food stylist-cliente devem estar bem sintonizados para alcançar um trabalho eficaz.

Um chef e um fotógrafo

© Michel Téo Sin / Heiko Grabolle © Michel Téo Sin / Heiko Grabolle
fotografia: Michel Téo Sin / food styling: Heiko Grabolle

Imagine um chefe de cozinha alemão que conhece uma dúzia de países, já trabalhou por seis meses em um navio navegando por meio mundo e escolheu a ilha de Florianópolis, no sul do Brasil, para viver por causa da tranquilidade, mas é uma pessoa hiperativa com muitas idéias na mente e que de alemão só sobrou o sotaque.

Imagine também, um jovem fotógrafo descendente de coreanos que fugiram da guerra, na qual metade da sua família vive no Brasil, e a outra metade nos EUA. A sua experiência pessoal é formada por uma mistura de culturas, a sua mente também é hiperativa e cheia de idéias e o seu coração é brasileiro, apesar de fisicamente não parecer um.

Estes são Heiko Grabolle e Michel Téo Sin. Eles se conheceram num trabalho fotográfico e o introsamento foi tão natural que rendeu uma parceria. Parceria, esta, que é alimentada pela diversidade de experiência e conhecimento de cada um.

A idéia do blog é justamente em compartilhar um pouco do conhecimento de cada um. O Heiko postará informações, novidades e dicas relacionadas ao food styling e o Michel a fotografia de gastronomia.

Read more