Criar água na boca


fotografia: Michel Téo Sin / food styling: Heiko Grabolle

Trabalho como chefe de cozinha há 16 anos. A grande lição que aprendí foi que o trabalho na cozinha é duro. Trabalha-se enquanto as outras pessoas estão no seu tempo livre e é muito comum fazer algumas horas extras, além do stress, que pode chegar num nível bem alto. Mas no final, a missão do chef é a mesma: Fazer uma boa e saborosa comida, isto é, servir um prato quente ou frio no seu melhor tempo, cuidar do sabor e texturas, do tempo de cocção, da apresentação, etc. Tudo isso para o nosso cliente dizer: “hummmmm, que gostoso!”.

Agora, quando trabalho para uma fotografia, é aí que complica. A história é quase a mesma: Servir um prato quente ou frio no seu melhor tempo, cuidar do sabor e texturas, do tempo de cocção, da apresentação, etc. Porém no final, o objetivo é que o cliente diga: “hummmm, quero comprar!”.

Para isto acontecer, os métodos de preparação e finalização podem mudar muito em relação à preparação de um prato real. O sabor não interessa mais, mas sim as texturas, suculência e apresentação, para que o observador veja a imagem e fique com água na boca.

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>