Posts

Workshop de Fotografia de Comida – São Paulo


fotografia: Raphael Günther

O workshop que aconteceu em São Paulo foi muito especial para nós. Foi gratificante compartilhar o nosso conhecimento com os paulistas Belmiro, Sheila, Malú e com pessoas que vieram de longe como o Eduardo de Fortaleza CE, o Luiz de Belém PA, Guilherme de Santa Maria RS, e o Ricardo que veio do México e também saber que, assim como nós, as pessoas que participaram do workshop acreditam na fotografia de comida/gastronomia.

Obrigado a todos!


fotografias: Raphael Günther

Restaurante Number Seven Fusion Food


fotografia: Michel Téo Sin / food stylist: Heiko Grabolle / cliente: Number Seven Fusion Food

Desde que começamos a nossa parceria na produção de fotografias para gastronomia, o Michel e eu já trabalhamos em cidades como Fortaleza/CE, Recife/PE, São Paulo/SP, Rio de Janeiro/RJ, Goiânia/GO, Brasília/DF. Na semana passada foi a vez de Balneário Camboriú/SC, onde fizemos um trabalho no restaurante Number 7.

O que mais gostei deste trabalho, além do desafio de fotografar os novos pratos do cardápio, foi o reencontro com meu ex-aluno Denis Ceratti. Hoje, colega de profissão, o chef Denis comanda a cozinha do restaurante Number 7 com grande sucesso.

Foto da equipe:

.

O desafio do foodstylist: trabalhando sem referência


fotografia: Michel Téo Sin / food stylist: Heiko Grabolle / cliente: QG Jeitinho Caseiro

Imagine alguém lhe pedindo para fazer um trabalho. É sempre bom se for algo do seu ramo e você tenha competência/capacidade de executá-lo, e que mesmo que você não se sinta totalmente apto, tem sempre alguém que pode lhe ajudar.

Em nosso caso, no processo de planejamento do trabalho, pesquisamos o máximo de referências (ruins e boas) de alimentos/produtos similares para saber o que deve e não ser feito.

Mas quando há poucas referências ou simplesmente não há? Ou só apenas referências ruins? É nessa hora que precisamos explorar a criatividade, imaginação, experiência, testes, muitos testes e a confiança do seu parceiro (fotógrafo ou food stylist), pois ambos estão na mesma situação, que é de criar algo novo, que poderá ser referência para outras pessoas.


fotografia: Michel Téo Sin / food stylist: Heiko Grabolle / cliente: QG Jeitinho Caseiro

Com ou sem ambientação?


fotografia: Michel Téo Sin / foodstyling: Heiko Grabolle / cliente: QG Jeitinho Caseiro

Algumas pessoas nos questionam na diferença em fotografar um prato em um fundo ambientado ou em um fundo liso, e isto nos motivou a escrever o que achamos sobre:

Imagem com ambientação: Além do apetite, o objetivo é do observador relembrar momentos, lugares, pessoas e desta forma associar a marca/produto com um conceito. A ambientação deve valorizar o alimento e não tirar a atenção dele, para isto usamos o recurso fotográfico de desfoque. Para ambientar a cena geralmente utilizamos louças, objetos de decoração e tecidos.

Imagem sem ambientação: Podemos dizer que é um trabalho mais técnico. O objetivo é do observador/consumidor saber em que consiste o prato/alimento. Toda a imagem fica em nitidez e por causa disto, o trabalho de foodstyling é muito mais exigido, como também é indicado para a aplicação em materiais gráficos, pois o fundo da imagem pode ser modificada.

Trabalhando em indústria alimentícia

Ao trabalhar em indústrias alimentícias, lembre-se da seguinte checklist:

- Usar EPI (equipamento proteção individual), como capacetes e óculos
- Usar touca e máscara
- Usar calça comprida e calçado fechado
- Sempre pedir autorização para tocar/mover objetos
- Não obstruir saídas e/ou acessos ao extintores
- Manter a organização e limpeza
- Verificar a voltagem das tomadas. Nem sempre correspondem à voltagem da cidade

Receitas para Mueller Fogões

Lombo de porco defumado com chucrute bavaria e purê de batata:

Salmão curado em sal e ervas com queijo quark e panquecas de batatas:

fotografias: Michel Téo Sin / food styling: Heiko Grabolle / cliente: Mueller Fogões

O chef alemão Heiko Grabolle elaborou receitas para a empresa Mueller Fogões, patrocinador do 6º Festival Gastronômico (Winterfest) em Pomerode SC. Além de produzirmos as fotografias dos pratos, o Heiko também os apresentou ao público no stand da empresa no festival.

Sopa de marisco


fotografia: Michel Téo Sin / food styling: Heiko Grabolle

Esta fotografia de Sopa de marisco, para a TopMed Magazine parece simples, porém tínhamos os seguintes requisitos:

  • Área limpa com ambientação para aplicação do texto
  • Brilho na sopa, porém sem estourar a imagem
  • Mostrar os mariscos na sopa

Em todo trabalho é sempre importante saber os requisitos a serem seguidos pois guiam os estudos, testes e produção da imagem.

Um pouco de fotografia


clique para ver maior

Como vocês já viram, no post “Um pouco de food styling”, produzimos a fotografia de um típico prato alemão, chucrute com lingüíca e costela de porco.

Na parte fotográfica foram utilizadas três luzes, onde duas (posição 4:00 e 12:00) eram difusas (com softbox) e uma de luz direta (com snoot) foi colocada na posição 10:00. A luz direta serviu para dar brilho e valorizar a textura da superfície da costelinha, a luz difusa na posição 4:00 para dar brilho na lingüíça e a difusa em 12:00 para iluminar o resto.

Receita alemã para Senior Sistemas


fotografia: Michel Téo Sin / food styling: Heiko Grabolle / cliente: Senior Sistemas

A Senior Sistemas convidou o chef alemão Heiko Grabolle para elaborar uma receita típica alemã para apresentação no Evento de Relacionamento Senior Ein Prosit. O evento Ein Prosit é uma mini Oktoberfest que leva ao público tradições e um pouco da cultura alemã de Blumenau.

O chef alemão Heiko Grabolle apresentou a receita nas 10 cidades do evento, onde após cada apresentação os participantes ganharam um kit brinde da empresa. Produzimos a fotografia do Hackepeter para ilustrar a receita que fazia parte do brinde.

O Hackepeter é um prato servido em grandes quantidades e por ser desconhecido no Brasil, foi feita uma releitura para deixá-lo visualmente mais atraente aos olhos das pessoas que não conhecem a receita.

O objetivo da fotografia foi transmitir o frescor e leveza do Hackepeter explorando cores, brilhos e texturas.